Marketing Espiritual

Marketing Espiritualidade 1 - Marketing Espiritual

No meu trabalho eu coloco tudo que eu tenho, com isso, acredito que as pessoas devem gostar de todo o pacote para me contratar, elas devem gostar de mim, Julyane Miranda, e não de um rótulo, uma mentira.

Justamente porque o meu produto é tudo que eu tenho, ele envolve coisas que estão além do meu curriculum, envolve além dos livros que li. Meu trabalho envolve a forma que eu enxergo a vida, o mundo e o mercado. Meu trabalho é futurista e o que é o futurismo se não o nosso olhar?

“Eu vejo a vida melhor no futuro, eu vejo isso por cima de um muro de hipocrisia que insiste em nos rodear…”

Trecho da música de Lulu Santos – Tempos Modernos, escrita em 1982.

Sim, sou uma positivista assumida. =)

E me sinto dentro do caminho da evolução. Há anos atrás eu fui muito criticada por querer trabalhar com marketing e internet, até de preguiçosa fui chamada. Hoje vejo que todo trabalho que é repetitivo e manual tem sido substituído por máquinas. A tecnologia ganhou, tá tudo dominado! =D

E o marketing digital? Hoje é o assunto do momento. Imagina se eu não tivesse tido esse olhar anos atrás? Ou se eu tivesse dado atenção as críticas? Eu não seria essa pessoa que eu sou hoje, essa pessoa que eu amo tanto!

Eu vejo um mundo onde a essência irá sobressair, onde a qualidade de vida será prioridade, onde o foco da humanidade será o da evolução, se sobrepondo a então competição. Eu vejo uma sociedade cooperativista, colaborativa e amorosa. E o Marketing se transformando em ferramenta no sentido de integrar todas as dimensões do ser humano: física, mental, emocional e espiritual. Isso tudo acelerado pela internet!

Estou alinhada com essa transformação, seguindo a ciência aliada a intuição. A ciência anda cada vez mais espiritualizada então… Marketing Espiritual, por que não?

O conceito de Marketing Espiritual foi criado por Joe Vitale quando, em 2002, escreveu um livro com o mesmo título. Posteriormente, os princípios defendidos por Vitale começaram a ser trabalhados e integrados por diversas correntes de pensamento. Por exemplo, segundo o Dharma Marketing, “nenhuma organização poderá ser maior do que o horizonte espiritual dos seus líderes”.

As referências às denominadas “organizações positivas” começam também a ser frequentes nas publicações relacionadas com Marketing. Em 2003, a noção de Marketing 3.0 é cunhada na Ásia, acabando por ser apadrinhada e difundida por Philip Kotler, um dos mais importantes e influentes autores da história do Marketing.

O objetivo do Marketing 3.0, que inclui a componente do Marketing Espiritual, é transformar o mundo num lugar melhor. As diretrizes empresariais, nomeadamente, missão, visão e valores, passam a ter em conta essa componente. Hoje, muitas empresas procuram estas linhas de orientação. O propósito, conceito já mundialmente difundido e levado bastante a sério na Europa, Ásia e America do Norte, começa a chegar timidamente na América do Sul, especialmente nos espaços mais prósperos das cidades mais desenvolvidas, afinal, a informação de qualidade sempre vem de cima para baixo. O meu desafio é levar a informação de qualidade para todos os negócios. Quebrar essa pirâmide, incluir.

Lembrando que já ultrapassamos o Marketing 4.0, que engloba todas as “eras” do marketing e acrescenta o digital.  Estamos no Marketing 5.0, onde quem dita as regras são as sensações, paixões humanas e suas emoções. Agora ficou muito claro porque se fala tanto autoconhecimento também né? É o marketing danadinho sendo a força motriz da nossa evolução. Percebe?

E quando digo que uso tudo que tenho no meu trabalho, eu falo também da minha espiritualidade. Quando estou atendendo um cliente em meu escritório, existe toda uma equipe de mentores me assessorando e mostrando para mim e para os meus clientes os melhores caminhos e recursos para o desenvolvimento dos seus negócios.

Sim, eu sou médium. Sim a espiritualidade maior está aqui na terra e vem fomentando esse trabalho há anos, intuindo professores, cientistas, personalidades, influenciadores e intelectuais. Eu chamo esse momento que estamos vivendo hoje de Iluminismo 2.0.

E olha… Não foi fácil aceitar aceitar minha mediunidade, passei 15 anos da minha vida brigando com isso. No auge de minha rebeldia eu falava em alto e bom som: “Eu quero ser rica! Eu quero viajar o mundo! Eu quero fazer carreira! Não quero ficar no centro trabalhando com espiritualidade!”

Quanta ingenuidade…

– Enquanto escrevo vou dando risada, minha mentora aqui do lado dizendo: “Viu? Não precisava daquela revolta toda… Trabalhando junto com a gente você consegue tudo o que você quer. ”

Hoje aceito e assumo publicamente esse trabalho, assumo que a espiritualidade está por trás de minhas ideias e que a sabedoria divina comanda minhas ações.

Termino esse artigo afirmando para você, querid@ leitor@ que o Marketing espiritual não é papo de sonhador. É para onde realmente já está caminhando a humanidade, basta olhar para trás e ver como estamos hoje, assim você consegue também visualizar essa minha projeção.

E você? Tem feito suas reflexões sobre como aliar seu negócio ao seu propósito e espiritual?

Comenta aqui embaixo! Eu adoraria conhecer seus pensamentos sobre este assunto! E se gostou, compartilhe esse post com seus amigos e ajude outras pessoas a encontrá-lo!

Receba as novidades do nosso blog